Jaraguá do Sul elegeu dois deputados federais

Panorama Político com Albino Flores

3 min para ler 8 out, 18

Região de Jaraguá do Sul elege dois deputados federais

130df656-0f14-4c6f-b228-be4a1042803c

 

Com 97.613 e 87.345 votos, a região de Jaraguá do Sul elegeu dois deputados federais, Carlos Chiodini (MDB) e Fábio Schiochet (PSL), respectivamente

chiodini-e-schiochet

A partir de janeiro de 2019, dezesseis deputados federais de Santa Catarina que irão compor a Câmara dos Deputados em Brasília. O partido PSL foi o que teve mais parlamentares eleitos. Do total de 16, 5 foram reeleitos.

Confira relação de Deputados Federais eleitos por SC:

  • Hélio Costa (PRB): 179.307
  • Daniel Freitas (PSL): 142.571
  • Professor Pedro Uczai (PT): 115.232
  • Caroline de Toni (PSL): 109.363
  • Geovânia de Sá (PSDB): 101.937
  • Carlos Chiodini (MDB): 97.613
  • Fábio Schiochet (PSL): 87.345
  • Ângela Amin (PP): 86.189
  • Carmen Zanotto (PPS): 84.703
  • Celso Maldaner (MDB): 80.086
  • Peninha (MDB): 76.925
  • Darci de Matos (PSD): 68.130
  • Ricardo Guidi (PSD): 61.830
  • Coronel Armando (PSL): 60.069
  • Rodrigo Coelho (PSB): 43.314
  • Gilson Marques (Novo): 27.443

Deputados Federais reeleitos em SC:

  • Peninha (MDB)
  • Professor Pedro Czai (PT)
  • Celso Maldaner (MDB)
  • Carmen Zanotto (PPS)
  • Geovânia de Sá (PSDB)

 

SC terá segundo turno entre Gelson Merísio e Comandante Moisés

 

merisio-e-moises

A eleição para governador de Santa Catarina será decidida no segundo turno entre os candidatos Gelson Merísio (PSD) e Comandante Moisés (PSL). Merísio recebeu 1.121.855 votos, o que representa 31,12% dos votos válidos. Moisés obteve 1.071.404 votos, o que representa 29,72% dos votos válidos.pós saber que está no segundo turno, Merísio afirmou: “Nós temos que discutir Santa Catarina, o que é melhor para o nosso estado. Quem pode contribuir mais, quem pode ajudar a construir um processo que ajude as pessoas de Santa Catarina a terem mais segurança pública, mais saúde e infraestrutura”.

Já Moisés declarou: “A gente lutou contra duas figuras que estavam aí há 20, 30 anos na política, que se substituem entre si, com grupos partidários. Então o sentimento da rua era esse de mudança, de renovação e a gente percebe que ele está se concretizando”.

Campanha

Tanto Gelson Merísio quanto Comandante Moisés começaram atrás nas pesquisas Ibope feitas em Santa Catarina. Na primeira pesquisa, divulgada em agosto, o candidato do PSD estava em terceiro lugar e o do PSL, em sétimo. Na última pesquisa Ibope, divulgada na sexta (5), Merísio estava em segundo, com 29% dos votos válidos, e Moisés, em quarto, com 12% dos votos válidos.

Durante a campanha, a revelação por parte de Merísio de que votaria em Bolsonaro (PSL) para presidente causou polêmica na coligação. Nacionalmente, porém, o PSD apoia Alckmin (PSDB). O partido Podemos chegou a protocolar no Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) pedido para deixar a coligação.

A chegada de Moisés ao segundo turno não estava prevista nas pesquisas Ibope. O candidato apareceu com 1% das intenções de voto em agosto. De acordo com as pesquisas Ibope, Merísio iria para o segundo turno com Mauro Mariani (MDB).

Veja o resultado dos outros candidatos:

Mariani e Bernardes encerram participação na eleição e agradecem confiança de mais de 23% dos catarinenses

 

Apos confirmação do resultado, Mariani agradeceu a confiança dos eleitores e destacou que o resultado do pleito estadual foi reflexo da disputa nacional.

Primeiro quero agradecer cada voto que o catarinense depositou em nosso projeto. Me orgulho da campanha que fizemos. Limpa e propositiva. Eu e o vice Napoleão Bernardes apresentamos um projeto de renovação, voltada para a busca da eficiência, mas respeitamos a voz das urnas, como sempre fizemos. Agora é olhar pra frente e continuar trabalhando por uma Santa Catarina melhor”, destacou ele, que apontou a “onda bolsonaro” como elemento determinante para o resultado da eleição.

Já o vice Napoleão Bernardes também agradeceu o engajamento da militância. “Eu e Mariani fizemos uma campanha contagiante, marcada por muito carinho. Não temos o que nos envergonhar. Continuamos trabalhando firmes por um Estado melhor”, falou o tucano.

 

 

Vicente Caropreso é reeleito deputado estadual

vicente-caropreso-psdb-nacional

 

Vicente Caropreso foi reeleito deputado Estadual em Santa Catarina. Com 40.132 votos, o tucano foi o único candidato da região eleito no pleito deste domingo (7). pelo estado, o deputado estadual mais votado foi o vereador de Blumenau Ricardo Alba (PSL), com 62.762 votos. A segunda maior votação foi de Luciane Carminatti (PT), com 61.271 votos, reeleita para mais um mandato. O terceiro da lista é o ex-deputado estadual e ex-conselheiro do TCE, Julio Garcia (PSD), com 57.772 votos

 

Esperidião Amin e Jorginho Mello são eleitos para o Senado por SC

 

Esperidião Amin (PP) e Jorginho Mello (PR) foram eleitos neste domingo (7) senadores por Santa Catarina para os próximos oito anos.

Amin recebeu 1.226.064 votos, o que representa 18,77% dos votos válidos. Mello obteve 1.179.757 votos, o que representa 18,07% dos votos válidos. Amin é natural de Florianópolis e tem 70 anos. Atualmente deputado federal, ele é formado em Administração e Gerência pela Esag e em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde é professor titular no curso de Administração. Esperidião foi governador de Santa Catariana por duas vezes, entre 1983-1987 e 1999-2003. E também por duas vezes foi prefeito de Florianópolis, na gestão de 1975-1978 e 1988-1990. Entre 1991 e 1999 foi senador e presidente nacional do partido Progressista. Esperidião Amin foi eleito deputado federal pelo PP em 2010 e 2014.

Mello nasceu em Ibicaré, no Oeste, e tem 62 anos. Atualmente, também é deputado federal. É formado em direito pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali).Já foi deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Em 2009, atuou como governador interino de Santa Catarina. Assumiu o mandato como deputado federal em 2011. Nas eleições de 2014, foi reeleito deputado federal. Foi bancário, gerente e diretor do Besc entre 1975 e 2002.