Transportadora anuncia 12 mil demissões

data 31 de janeiro de 2024

Carol Tomé destacou o ano de 2023 como singular e desafiador. “

Imagem em destaque

A transportadora americana UPS (United Parcel Service Inc.) anunciou o corte de 12 mil funcionários. A CEO da empresa, Carol Tomé, comunicou a decisão na terça-feira, 30, durante uma teleconferência de resultados com analistas.

Carol explicou que a medida visa economizar US$ 1 bilhão neste ano, após a UPS ter experimentado uma redução de 9,3% em suas vendas anuais e uma previsão de crescimento de apenas 1,1% para 2024. A diminuição na demanda tanto na Europa quanto nos Estados Unidos contribuiu para uma redução de 7,5% no volume total de entregas da companhia no último trimestre.

A empresa enfrentou custos trabalhistas elevados e uma demanda decrescente por envios, resultando em vendas abaixo do esperado pelos analistas no quarto trimestre.

Outro desafio enfrentado pela UPS é a necessidade de aprimorar o desempenho do seu segmento de corretagem de caminhões, que também registrou quedas nas vendas devido à recessão no setor de fretes, caracterizada por tarifas em baixa e excesso de capacidade.

Carol Tomé destacou o ano de 2023 como singular e desafiador. “

Mantivemos o foco no controle do que estava ao nosso alcance, permanecemos fiéis à nossa estratégia e fortalecemos nossa estrutura para crescimento futuro”, afirmou.

A demanda pelos serviços da UPS sofreu uma queda devido ao aumento das compras em lojas físicas durante os feriados e à inflação, que restringiu o poder de compra dos consumidores.

A CEO busca recuperar os recursos perdidos em negociações sindicais no ano passado. O novo acordo trabalhista deve impactar os lucros da empresa no primeiro semestre, com a maior parte dos reajustes salariais acontecendo nesse período.

Carol mencionou que a empresa está concentrada em aumentar a eficiência e focar em entregas mais rentáveis, como as de suprimentos médicos. A UPS também reduziu as entregas aéreas, em resposta à baixa demanda, especialmente da China.

Ainda não é claro como as recentes interrupções no Canal de Suez, causadas por ataques terroristas houthis, e a seca que limitou o tráfego no Canal do Panamá podem influenciar o setor de transportes aéreos.

Carol planeja apresentar metas de longo prazo em uma reunião com investidores em março. Christian Wetherbee, analista da Citigroup, afirmou que os resultados gerais foram um pouco melhores do que o esperado, mas a projeção para o futuro é menos otimista. Ele espera que a demanda continue fraca no primeiro trimestre.

O volume de entregas nos EUA no quarto trimestre caiu 7,4%, apesar da estabilidade nos preços. A unidade internacional da UPS também viu suas vendas diminuírem 6,9%, afetadas pela demanda reduzida na Europa, que resultou em uma queda de 8,3% no volume de pacotes.

Veja também

Desenvolvido por AUIN Tecnologia