Jaraguá do Sul decreta situação de emergência em função da dengue

data 29 de fevereiro de 2024

Município também irá promover o uso de inseticida para eliminar o mosquito causador da doença.

O prefeito, Jair Franzner assinou na tarde de ontem o Decreto nº 18.022/2024, que declara situação de emergência e estabelece medidas de prevenção e combate à proliferação do Aedes Aegypti no município.
Conforme o decreto, os espaços e órgãos públicos municipais (secretarias, autarquias, fundações, praças e parques municipais) deverão instituir permanentemente um momento semanal para realizar atividades de conscientização e prevenção à dengue, eliminando todos os objetos e materiais que possam ser criadouros do Aedes Aegypti. O dia da semana será determinado conforme a organização de cada setor, sendo que a primeira ação será feita nesta sexta-feira.
Entre as justificativas que embasam a medida está o aumento no número de casos de dengue neste ano e a transmissão sustentada (vários casos confirmados em uma mesma localidade). Para se ter uma ideia, de 1º de janeiro a 27 de fevereiro de 2024 foram confirmados 124 casos, o que representa mais de 1.800% em relação ao mesmo período do ano anterior, sendo que destes, 77 casos foram contraídos dentro do próprio município.
A iniciativa conta com o apoio de entidades como Acijs, CDL, Polícia Militar, Regional de Saúde, Câmara de Vereadores, Coordenadoria Regional da Defesa Civil e secretarias municipais. Todas comprometidas em estender as orientações aos seus associados.
“Se cada um fizer a sua parte na luta contra a dengue, vamos conseguir frear o avanço da doença. Uma vistoria semanal no terreno, em volta da casa e ambiente de trabalho para eliminar pontos com água parada fará a diferença”, enfatizou o prefeito, Jair Franzner.
O decreto estipula ainda que em todos os prédios e espaços públicos das secretarias, autarquias, fundações, praças e parques municipais as plantas que podem acumular água das chuvas sejam gradualmente substituídas por outras que não ofereçam risco de proliferação do Aedes Aegypti e outros vetores.

Uso do fumacê em Jaraguá do Sul
Integrando as ações de combate à dengue, neste sábado será realizado o uso da técnica conhecida como fumacê no bairro Água Verde (as ruas serão informadas na sequência). Essa abordagem é aplicada em áreas com alta infestação de mosquitos e casos de dengue. Ao longo desta semana, os agentes de combate às endemias estão percorrendo a área onde haverá a aplicação do inseticida para informar os moradores.
A aplicação de inseticida peridomiciliar, conhecido como fumacê, é uma medida utilizada para combater mosquitos adultos, especialmente o Aedes Aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya. Isso é feito liberando uma “nuvem” de fumaça contendo baixas doses de um inseticida chamado Cielo-ULV. O objetivo principal é eliminar os mosquitos e reduzir a transmissão dessas doenças.
O fumacê é aplicado ao redor das casas por um agente de endemias utilizando uma bomba intercostal, dispersando a névoa de inseticida e atingindo áreas onde os mosquitos se escondem e se reproduzem, contribuindo para proteger as comunidades contra as doenças transmitidas por esses insetos. A aplicação visa eliminar o mosquito na fase adulta que está próximo às residências que serão trabalhadas.
As atividades são planejadas e definidas com base em avaliação técnica em conjunto com a Regional de Saúde e consideram aspectos epidemiológicos (ocorrência de casos em humanos) e entomológicos (bairros infestados pelo mosquito Aedes Aegypti).

Cuidados da população após a aplicação
Durante a aplicação, é essencial que os moradores deixem seus imóveis, mantendo portas e janelas abertas. Recomenda-se, ainda, a proteção de alimentos, animais domésticos, aquários, aves e abelhas antes do início da aplicação. O retorno ao imóvel é aconselhado entre 30 e 40 minutos após o término da aplicação.

Outras orientações incluem:
 Manter aquários, gaiolas, alimentos e vasilhas cobertos até duas horas após a aplicação do inseticida;
Pessoas doentes, idosas, alérgicas e recém-nascidos devem permanecer em locais mais afastados por até duas horas após a aplicação do inseticida;
Hortas e árvores frutíferas: orientamos higienizar adequadamente antes do consumo;
Proprietários de animais de estimação, aquários e pássaros devem colocá-los em um cômodo fechado durante a pulverização do inseticida e liberá-los após 30 a 40 minutos. Recipientes de água e comida dos animais também devem ser recolhidos. No caso de colmeias (caixas de abelha), o mesmo período de espera é recomendado antes de abri-las. (A Secretaria de Desenvolvimento Rural e Abastecimento está em contato com os apicultores para orientação).

O secretário de saúde, Alceu Gilmar Moretti reforça que, mesmo com a aplicação do inseticida peridomiciliar, é fundamental que os munícipes mantenham os cuidados preventivos contra a dengue em suas residências, evitando locais propícios para a proliferação do mosquito e seguindo com o uso de repelente.
A conscientização e a ação coletiva são essenciais para mantermos nossa cidade livre dessa doença. Faça a sua parte! Proteja sua família e contribua para uma Jaraguá do Sul mais segura e saudável.

Veja também

Desenvolvido por AUIN Tecnologia