TST NEGA DESCONTO DE CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PREVISTO EM NORMA COLETIVA

Por: Hasse Advocacia e Consultoria - Dr. Marcos Hasse
Foto:
Compartilhe

 

 

A 8ª turma do TST negou provimento a uma ação trabalhista ajuizada pelo Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação e Trabalhadores na Limpeza Urbana de Araraquara, em São Carlos e região, que postulava pelo reconhecimento da validade do desconto de contribuições sindicais previstos em norma coletiva.

Em síntese, houve negociação entre os sindicados patronal e laboral para obrigar as partes a descontarem da folha de pagamento dos funcionários a contribuição sindical, razão pela qual o Sindicato ingressou com a ação trabalhista, postulando pela retenção e repasse dos valores.

A ação foi julgada procedente em primeiro grau, cuja sentença foi mantida em segundo grau, com voto do TRT-2 que entendeu a favor do princípio da autonomia coletiva.

Chegando ao TST, o ministro relator, Brito Pereira, esclarece que a Lei nº 13.467/2017 (Reforma Trabalhista) alterou a legislação para retirar a compulsoriedade da contribuição sindical, cujo pagamento passou a ser faculdade do empregado, devendo a autorização ser prévia, expressa e individual.

O ministro destacou, ainda, que o STF já havia reconhecido a constitucionalidade da Reforma que suprimia o caráter cogente das contribuições sindicais na ADI 5794.

A decisão é um marco na seara trabalhista, pois abre forte precedente contra normas coletivas firmadas entre sindicatos que objetivavam impor a contribuição sindical a qualquer custo, apesar de não ser mais obrigatória desde 2017.

 

Fonte: TST RR-1000476-17.2019.5.02.0085

Veja também

Dia Internacional do Idoso será comemorado no Parque da Inovação
Confira programação completa deste domingo.
Prefeitura altera sentido de ruas no bairro Ilha da Figueira
Quem trafega pelas Ruas Raulino Kreis e Antônio José Gonçalves deve tomar cuidado a partir da semana que vem.
Meninas do vôlei de praia seguem no estadual
De acordo com técnico, dupla tem condição de brigar pelo pódio na fase final.
Prefeitura e IPHAN estudam destino do recurso remanescente do TAC Rio da Luz
Termo de Ajustamento de Conduta prevê investimentos em ações de manutenção e valorização dos bens culturais.
Praça no Nova Brasília é revitalizada
Espaço ganhou novos bancos, piso de paver e iluminação de led.