Rede Nossa: Dr. Rodrigo Agacy fala sobre cirurgias plásticas em ex-obesos

Por: Rodrigo Agacy e Ana Paula Passini
Foto: DIVULGAÇÃO
Compartilhe

Nos dias atuais o estilo de vida da população tem elevado do número de pessoas obesas e a obesidade mórbida tornou-se um problema de saúde pública. Com a evolução das técnicas cirúrgicas para redução do peso, os pacientes têm grande perda ponderal em um curto espaço de tempo. Estes procedimentos têm suas vantagens, mas geram uma flacidez importante devido à perda da elasticidade da pele. Isto varia de indivíduo para indivíduo dependendo da quantidade de peso perdido, da velocidade dessa perda e do tipo de pele, resultando num excesso de pele em várias áreas do corpo, como abdome (“abdome em avental”), mamas, braços, coxas, dorso e glúteos.

Após o paciente estar com o seu peso estabilizado por, no mínimo seis meses e apresentar perda de peso maior de 75% do excesso pré-estabelecido, ele passa a ser um candidato a realizar uma cirurgia plástica reparadora. Como os procedimentos cirúrgicos são extensos, estes pacientes devem passar por uma avaliação e exames pré-operatórios rigorosos, pois podem apresentar anemia importante e deficiência nutricional, sendo geralmente necessária a reposição de vitaminas e ferro.

Como funciona a Cirurgia Plástica Pós Bariátrica? – Dr. Enio Giacchetto

A cirurgia plástica evoluiu muito nos últimos anos, devido ao aumento da quantidade de pacientes ex-obesos e da pesquisa visando à melhora nos resultados alcançados.

A dermolipectomia de abdômen, de coxas e mamoplastias com ou sem implantes de silicone, são as cirurgias mais realizadas, seguidas pela dermolipectomia dos braços (braquioplastia) e lifting de face. Pode ser realizada, em casos específicos, a chamada torsoplastia que é uma cirurgia que permite ao cirurgião melhorar a flacidez da região dorsal e ao mesmo tempo a flacidez da região glútea, associada a cirurgia abdominal.

Como toda cirurgia que remove grandes quantidades de pele, as cicatrizes são extensas, mas são bem toleradas pelos pacientes pois ficam localizadas em áreas não expostas. Normalmente um paciente ex-obeso necessita de mais de uma cirurgia, mas não é aconselhável a combinação de vários procedimentos grandes num mesmo tempo cirúrgico.

O resultado final é a melhora da auto-estima e o maior conforto com o uso das roupas no dia-a-dia, e conseqüente melhora na qualidade de vida dos pacientes.

Dr. Rodrigo Agacy
CRM-SC 15.458
agacyepassini.com.br

Veja também

AGORA - Carlos Moisés é absolvido no processo dos respiradores
Confira como fica a situação do governador
Vereadores encaminham pedidos para pavimentação de rua, construção de calçada e muretas em pontes
Guaramirim
Presidente da Camarra Onésimo Sell está com a corda toda.
A semana foi recheada de visitas e reuniões.
Vacinação covid liberada para nova faixa de comorbidade e deficiência
Pessoas com comorbidades ou com deficiência permanente, com idade entre 55 a 59 anos.
Secretaria de Saúde define novos grupos para vacinação contra a covid-19
Vacinação começa nesta quinta-feira
AGORA É LEI - Academias são reconhecidas como prestadoras de atividades essenciais
A lei estabelece várias atividades