Proximidade da estação em que mais se observa a queda de cabelos exige atenção e orientação profissional

Por: Dermatologia - Por Dr. Eduardo Bornhausen Demarch
Foto: DIVULGAÇÃO
Compartilhe

O constante avanço da ciência aliado ao desenvolvimento de novos produtos e tecnologias têm sido importantes aliados nos tratamentos de saúde e estéticos. As novidades são tantas que nem sempre conseguimos acompanhar todas as possibilidades que esse campo nos oferece. Por isso, a importância de consultar um profissional antes de tomar qualquer decisão. Com a proximidade do verão, os cuidados com a pele devem ser redobrados, em especial com o uso de protetor solar, que não deve ser esquecido nem mesmo no inverno. Porém, nesta estação de sol, praia, piscina e temperaturas nas alturas, outras partes do corpo também não devem ser esquecidas, em especial as unhas e os cabelos. Estudos científicos apontam que as estações do ano em que há mais queda de cabelos são no verão e no outono.

O vento, o sal e o cloro das piscinas mudam a textura do cabelo e exigem mais cuidados. O sol mais intenso também seria um dos fatores responsáveis pela perda dos fios. A radiação solar em excesso e o suor causariam inflamação dos folículos capilares. Além dos aspectos climáticos, a produção da melatonina, o hormônio que regula o ciclo de sono e nosso relógio biológico, também influencia nas madeixas. Doenças de diferentes origens também podem influenciar na queda, assim como o estresse, um gatilho frequentemente ignorado. Além disso, pessoas que utilizam produtos químicos para coloração ou alisamento no cabelo, fazem chapinha com muita frequência ou penteados que podem quebrar o cabelo, também podem apresentar queda mais acentuada. Também é importante saber que a perda de fios, entre 50 a 100 fios por dia, é considerada normal. Mais do que isso se torna preocupante.

Mas a boa notícia é que há uma gama de tratamentos médicos para cada caso. Importante lembrar, destaca o médico Dr. Eduardo Bornhausen Demarch, que quem tiver observando a perda acentuada de cabelos deve procurar um especialista, para que seja feito um diagnóstico correto. Ele destaca que não é preciso se desesperar, pois muitas doenças podem ter o quadro revertido, como nos casos de pacientes em tratamento de câncer ou os que tiverem queda repentina. E como as causas podem ser por diferentes motivos, o tratamento indicado para uma pessoa necessariamente pode não dar resultado para outra. Pois para alguns casos há contraindicações e somente um especialista pode apontar o mais correto, depois de uma consulta presencial em consultório.

Restauração capilar
Os tratamentos capilares pode ser aliados à equipamentos de alta tecnologia, como o caso do Bulge Hair Restoration – nome em inglês para restauração capilar. A plataforma médica desenvolvida especificamente para tratar os cabelos é considerada, no momento, a principal esperança daqueles que sofrem de alopecia androgenética, a popular calvície, que atinge mais de 40% dos homens adultos e 5% das mulheres. Apesar do nome complicado, o Bulge Hair permite visualização de até 200 vezes no couro cabeludo e fios, permitindo que o dermatologista visualize em detalhes e consiga diagnosticar o grau da perda de cabelo, analisando a espessura e a densidade dos fios e se há lesões foliculares. Assim que recebe o diagnóstico, o paciente já pode receber tratamento mais adequado, que vai desde a aplicação de leds (vermelho, amarelo e azul), laser de baixa potência, oxigênioterapia até a pulverização de medicamentos diretamente afetada. De acordo com o dermatologista Eduardo Demarch, o uso do laser de baixa potência tem se revelado boa solução, com sistemas que atuam nas profundezas da derme, estimulando o metabolismo local, melhorando o fluxo capilar e o transporte de oxigênio e nutrientes para os folículos. A duração do tratamento depende de cada paciente e do grau de perda capilar. O ideal é realizar uma sessão a cada 15 dias ou uma vez por mês. O médico também frisa que somente um profissional especializado e de confiança, após analisar todas as condições do paciente, poderá indicar o tratamento correto. “Toda queda capilar acima do normal deve ser investigada e tratada. Quadros iniciais respondem bem ao tratamento e quadros mais avançados em geral precisam de mais sessões de tratamento”, explica o dermatologista.

Doenças que podem causar queda de cabelos

Síndrome do ovário policístico
Distúrbio endócrino que provoca alteração dos níveis hormonais, levando à formação de cistos nos ovários. Pode ocorrer irregularidade menstrual, alteração na produção de testosterona e aumento na queda capilar. Outros sintomas incluem ganho de peso, acne, cabelo e pele oleosos.

Problemas na tireóide
A glândula localizada na laringe é responsável por liberar a secreção de alguns hormônios. Alterações nessa glândula desencadeiam o hipotireoidismo ou hipertireoidismo, alterando o ciclo dos fios, desencadeando a queda de cabelo.

Doenças autoimunes
Distúrbios como a alopecia areata, lúpus e psoríase, que acabam atacando os órgãos e tecidos do próprio corpo causam a descamação da pele (e do couro cabeludo), modificando a saúde dos fios e causando queda em certas áreas.

Alopecia androgenética
Nome científico da popular calvície, com características geneticamente determinadas, desencadeia a miniaturização dos fios até a involução total do fio.

Dietas Rígidas
Dietas que restringem a ingestão de determinados alimentos podem prejudicar o funcionamento do organismo em diversos aspectos, incluindo o ciclo capilar. Para que a alimentação seja balanceada e garanta a saúde dos fios, é necessário o acompanhamento médico na reeducação alimentar.

Cuidados para evitar queda acentuada de cabelo

Não tome banho muito quente
- O calor deixa os fios mais fracos e quebradiços. Também evite dormir com o cabelo molhado.

Cuidado ao prender
- Gosta de coques ou rabo de cavalo? Pois apertar muito o cabelo contribui para a ruptura dos fios.

Para secar
- Use a graduação morna do secador e o mantenha a uma distância de 15 centímetros do cabelo, especialmente nas extremidades.

Evite o excesso de estresse
- Uma das principais causas de queda de cabelo é o estresse, tanto físico como mental.

Dr. Eduardo Bornhausen Demarch
CRM/SC 19.387
https://www.doutoreduardo.com/

Veja também

Novale Hub está com inscrições abertas para workshop
Inscritos poderão colaborar com projetos cujo objetivo é solucionar problemas urbanos por meio de um processo intensivo de trabalho em grupo.
BTA Aditivos irá se instalar em Jaraguá do Sul
Representantes da indústria de aditivos de nutrição animal estiveram reunidos com prefeito, Antídio Lunelli para apresentar o plano de implantação da unidade fabril no bairro Santa Luzia.
Simulado avaliou o conhecimento de alunos da rede municipal de ensino
O objetivo é traçar um diagnóstico da aprendizagem com base no desempenho dos estudantes.
Guaramirim poderá ter prédios com até 25 andares
Aprovação de projeto que trata sobre o zoneamento, uso e ocupação de solo foi aprovado em primeiro turno pela Câmara.
Câmara de Guaramirim aprova criação do Complexo Multimodal
Projeto prevê a instalação de grandes empreendimentos e uma nova ligação com a cidade de Joinville.