Por que investir em carros?

Por: Na Carona com Deni Fachini
Foto: Marcelo Luis
Compartilhe

A poupança no Brasil nunca foi o investimento mais adequado para quem quer ganhar dinheiro guardando, mas sempre foi um dos mais seguros e aquele em que muita gente ainda acredita para deixar seu suado dinheiro. Mas se você, diferentemente de uma parcela da população, escolheu gastar seu dinheiro em um carro, talvez tenha feito melhor negócio do que deixá-lo parado no banco.

No período de março a novembro de 2021, a poupança rendeu 1,79%. Ou seja, se você colocou R$ 100 em março, teve a incrível quantia de R$ 101,80 em novembro. Em contrapartida, alguns carros valorizaram mais do que isso no mesmo período. A falta de exemplares e o aumento de preços dos zero quilômetros carregou também a tabela dos seminovos e usados, que segue aumentando mês a mês.

O carro também possui vantagens quando comparado a outras formas de investimento. Se você eventualmente precisar vende-lo para formar capital de giro ou mesmo pagar alguma dívida, a tendência é ter uma negociação muito mais rápida do que ao tentar se desfazer de um imóvel, por exemplo, e com dinheiro imediato na mão!

Carros são a moeda de troca mais rápida do mercado e também a possibilidade de capital de giro com a menor taxa de juros. Hoje o financiamento de um carro tem taxa média de juros de 1% ao mês. Sendo assim, em caso de necessidade, você faz dinheiro rápido no seu veículo, compra outro financiando a juros mais baixos que os do cheque especial e outras modalidades oferecidas pelos bancos e ainda salda compromissos de urgência. No tradicional português, é a salvação! Se você precisa de dinheiro para investimento, cobrir especial, fazer uma plástica, viajar ou casar, em poucos minutos você entra em uma loja de carros e sai com dinheiro no bolso e de carro novo.

Um levantamento da KBB Brasil, que analisou o preço de diversos modelos de março a novembro do ano passado, também derrubou o estigma de que carros perdem valor assim que saem da concessionária. Para comprovar, listamos aqui quatro modelos que, se você tem na garagem ou vai vender agora, podem render mais do que se tivesse deixado o dinheiro na poupança.

 

Fiat Mobi

O pequeno compacto da Fiat custava R$ 39.990 na versão Drive 1.0 6V em março do ano passado e hoje R$ 44.850, ou seja, uma valorização de 12,15% no mesmo período.

Jeep Renegade

Na versão de topo, Trailhawk, o SUV compacto apresentou uma valorização de 10%. O preço, que era de R$ 135 mil em 2020, passou para R$ 148.500 em novembro passado.

Volkswagen Up!

O simpático subcompacto da marca alemã saiu de linha em abril passado, mas registrou uma alta de 10% na versão Xtreme, a última disponível no catálogo no fim da sua produção. O modelo custava R$ 55 mil e, segundo a KBB, custa agora R$ 60.900.

Toyota Corolla

O sedã médio mais vendido do Brasil não decepcionou. A Toyota teve que fazer algumas interrupções na produção ano passado por falta de componentes e viu a versão híbrida de topo, Altis Premium 2021, ter uma valorização de 14,2%. O preço foi de R$ 130.390 para R$ 149 mil.

 

Lembrando que no seminovo também existem várias e ótimas condições para levantamento de capital de giro. Dirija-se à loja e consulte condições de financiamento para aprovação e adequação aos modelos de interesse.

Veja também

Encontrada mulher desaparecida na Praia Brava
O desaparecimento de Simone estava sendo divulgado por amigos
Dono de construtora de Balneário Camboriú é executado dentro de loja
Ele foi morto a tiros e polícia acredita que pode ter sido um latrocínio    
Coluna do Moa deste sábado
Um empresário caixa alta da city, depois de ter pulado a cerca vária vezes, ter sido...
Coluna do Moa desta sexta-feira
Aquela figurinha bizarra e arrogante que sequer sabia falar e não disse...
Prefeitura adere ao programa Sebraetec
Cidade será a primeira cidade do Estado a desenvolver o programa, que visa apoiar micro e pequenas empresas.
Cresce o movimento nas farmácias SUS do município
No mês de junho mais de mil atendimentos foram registrados ao dia.