Um novo mundo a ser descoberto

Nina Camello conta as primeiras impressões à frente da Secretaria de Assistência Social e Habitação

2 min para ler 16 fev, 17

“Quando ia me despedindo do abrigo uma garotinha se agarrou em minhas pernas e pediu para que a levasse junto”. A cena descrita por Maria Santin Camello, a Nina, descreve bem a primeira impressão que teve ao assumir a Secretaria de Assistência Social e Habitação de Jaraguá do Sul: a de que existe uma realidade no município ainda desconhecida pelo grande público. Filha adotiva e irmã de um rapaz “especial” que viveu em condições de abrigo antes de ganhar uma nova família, ela ficou tocada com a situação de violência e abandono vivida pelas crianças e pode perceber que os desafios não serão pequenos nos próximos quatro anos de gestão.

Nina conta que seu pai adotivo, Sr. Sabino Santin (in memorian) foi prefeito na cidade de São Lourenço do Oeste no período de 1973 a 1976, mas aos 53 anos de idade esta é a primeira vez que Nina ocupa um cargo público e reconhece que não tinha muita noção de como seria. A demanda de trabalha surpreendeu, assim como a estrutura disponível para atender aos casos de vulnerabilidade social. “Quando recebi o convite do Ademir Izidoro (presidente do PP, ao qual é filiada), pensei: ‘e agora’? Mas acredito que o maior desafio já venci, que é encarrar as oportunidades e os desafios sem ter medo”, conta. Ela agradece ainda a confiança depositada pelo prefeito e vice e afirma o compromisso de honrar com muita lealdade e trabalho.

nina-interna-1

Desde dezembro conhecendo os bastidores da secretaria, ela pretende agora investir no atendimento à população. É nesse sentido que pretende utilizar a bagagem conquistada nos 23 anos em que atuou como bancária e outros 14 anos dedicados à Rede Feminina de Combate ao Câncer e a outras entidades. Ela reforça que no entanto não ira abandonar o trabalho voluntário e fará o possível para fortalecer essas entidades, pois elas prestam um auxilio muito grande a toda sociedade e inclusive aos órgãos públicos.

Em um quadro na secretaria escreveu a palavra paciência, característica que acredita ser crucial por vários motivos: Um deles é a famosa burocracia que emperra a máquina pública, outro o desconhecimento da população sobre os seus direitos e um terceiro chamado crise financeira.

“Estamos vestindo a camisa e sei que tudo tem o seu tempo para acontecer. Ao meu lado tenho uma equipe experiente e maravilhosa que vai dar continuidade ao que já vinha sendo realizado e incluir projetos nessa pauta”, diz. Os principais apoios de Nina serão Elci Cristofolini, que assume a diretoria administrativa e técnica de assistência social, e Luís Fernando Almeida, diretor da Habitação, os demais que estarão a frente dessa secretária ainda não foram confirmados. Enquanto nessa segunda pasta o foco está na regularização fundiária e de loteamentos, a assistência social se divide em vários braços que atingem crianças, pessoas em situação de rua, idosos, mulheres e os centros de referência especializados do setor.

Segundo Nina, as pessoas precisam conhecer melhor todos esses serviços e ela não descarta uma campanha visando levar informação aos jaraguaenses. A ideia é mostrar todos os serviços que a secretaria está apta a realizar, assim como a gama de profissionais envolvida para que toda essa engrenagem funcione. “As pessoas precisam enxergar além da sua realidade e perceber que Jaraguá tem muitos problemas, sim, mas que há um grupo de pessoas mobilizado para que eles se tornem menos difíceis de serem carregados”, reflete.

Publicidade

granisul2