Sua casa mais bonita: Aposte no verde, plantas fazem toda a diferença

Por Jeanita Bonato

3 min para ler 9 ago, 17

Que tal alegrar o seu ambiente com um pouco de verde? As plantas são as melhores soluções. Trazer a natureza para dentro de casa traz alegria e vivacidade aos espaços, e a manutenção pode ser mais simples do que você imagina. As plantas cultivadas dentro de casa vão muito além da sua função decorativa, pois elas auxiliam na absorção de poluentes, e reduzem os níveis de tensão e estresse, e ajudam até mesmo a ter uma boa noite de sono. Mas cuidado que não são todas as plantas que se adaptam bem à áreas internas, segue uma lista das plantas que melhor se adaptam às áreas internas e escolha a melhor opção para você:

 

jm

Antúrio: É essencial que fique à meia sombra, sem receber diretamente a luz do sol. Entretanto, também não pode ficar em ambientes escuros. Nome cientifico: Anthurium andreanum.

Babosa de pau: Deve ser cultivada sem luz direta do sol e não é resistente ao frio, por ser uma planta tropical. As regas devem ser feitas sempre que o solo estiver secando. Nome cientifico: Philodendron martianum.

Begônia: O cultivo deve ser feito em substrato bem fértil, em ambientes protegidos da luz do sol, da friagem e do vento. A rega deve ser feita sem molhar as folhas. Nome cientifico: Begonia elatior.

planta-internas-espada-sao-jorge

Bromélia: O sol direto queima suas folhas, por isso deve receber apenas claridade indireta. É plantada em substrato para epífitas. Deve ser regada a cada dois dias, limpando-se o seu centro para evitar proliferação de mosquitos. Nome cientifico: Guzmania ligulata.

Filodendro Cascata: O Filodendro cascata em vasos costuma ficar bem em qualquer ambiente. Deve ser mantido longe na luz direta do sol, mas o ambiente deve ser iluminado. Deve ser regado quando a camada superficial da terra estiver seca. Nome cientifico: Philodendron cascata.

Jade: A Jade demora para florescer, mas vale a pena esperar. É muito fácil de cuidar: se dá bem em qualquer solo que não fique muito úmido e deve receber luz direta do sol pelo menos durante uma parte do dia. Nome cientifico: Crassula ovata.

Publicidade

jeanita-site-750-x-180-1

Jibóia: Uma das poucas trepadeiras para ambientes internos, a Jiboia cresce apoiada a substratos, como xaxins ou outras plantas. Esta planta tem as folhas coloridas, mas se ficar somente na sombra, suas folhas serão pequenas e verdes. A rega deve ser feita com frequência, para manter o substrato úmido. Nome cientifico: Remnum pinnatum.

Lança de São Jorge: Por ser uma planta muito resistente, pode ser usada nas mais variadas composições, desde jardins de pedras a vasos para ambientes internos. Deve ser regada a cada 15 dias, sem molhar as folhas, e mantida à meia-sombra. Nome cientifico: Sansevieria cylindrica.

Licuala: A licuala não deve ficar exposta à luz direta do sol, mas precisa estar em ambiente iluminado com luz indireta. Borrife água em suas folhas. Nome cientifico: Licuala grandis.

dica-vegetacao

Lírios da paz: Esta é uma das poucas plantas que florescem na sombra. Se seu jardim é sombreado, mas com bastante claridade, abuse desta espécie. O sol direto queima suas folhas! Mantenha-a sempre adubada e seu solo úmido. Nome cientifico: Spathiphyllum wallisi.

Minicactos: Ao contrário dos cactos grandes, eles não devem ser expostos à luz direta do sol e ficam melhor em ambientes internos bem iluminados. Para saber quando regar, verifique se a terra está seca – em geral as regas são semanais. Nome cientifico: Mamillaria SP.

Palmeira areca: Pode crescer exposta diretamente ao sol, mas suas folhas ficam mais vistosas quando é cultivada à meia sombra. Deve ser regada regularmente e não deve ficar em ambientes com ar-condicionado. Nome cientifico: Dypsis lutescens.

Palmeira Camaedórea: Gosta de ambientes úmidos e longe da luz direta do sol. A rega tem que ser frequente, para manter a terra sempre úmida. Nome cientifico: Chamaedorea elegans.

Palmeira Ráfis: Fica bem em todo tipo de iluminação. É importante regá-la com frequência sem encharcar seu substrato. Nome cientifico: Rhapis excelsa.

Publicidade

ape

Pau d’água: É resistente ao ar condicionado e não precisa ficar diretamente exposto ao sol. Deve ser regada quando superfície da terra estiver seca. Nome cientifico: Dracaena fragrans.

Pleomele: É muito usada em ambientes internos, mas deve-se prestar atenção se ela está se adaptando à baixa luminosidade. Caso ela comece a perder folhas, é melhor colocar em ambiente mais claro, mas não necessariamente diretamente ao sol. Nome cientifico: Dracaena reflexa.

Rosa de pedra: Deve ser regada apenas uma vez por semana, pois a umidade pode apodrecer suas raízes. Não tolera muito sol. Nome cientifico: Echeveria SP.

Singônio: Deve ser cultivado à meia sombra e regado com frequência para manter a terra úmida. Nome cientifico: Syngonium angustatum.

Publicidade

vallsa

Violeta: É importante é garantir que seja exposta somente à luz indireta. Regar uma ou duas vezes por semana também é fundamental, sem molhar as folhas e flores. Nome cientifico: Saintpaulia ionantha.

Zamioculca: A Zamioculca continua bonita mesmo quando não recebe os cuidados adequados. Precisa ser regada somente uma vez por semana e fica bem tanto em ambientes com luz, quanto sem luz – mas é bom evitar sol direto, que pode queimar suas folhas. Nome cientifico: Zamioculcas zamiifolia.

Dica: Se você mora em um apartamento ou em casa e possui uma pequena varanda você pode criar um cantinho único em casa. Uma combinação de plantas, pedras decorativas e madeira, trazem aconchego aos espaços, e existem no mercado opções de deck montáveis em lojas de materiais de construção.