PIS/Pasep 2016: 101,7 mil catarinenses terão novo prazo para saque

Foi prorrogado o prazo para pagamento do abono salarial ano-base 2016

1 min para ler 20 jul, 18

Foi prorrogado o prazo para pagamento do abono salarial ano-base 2016. Os saques, que haviam encerrado no dia 29 de junho, agora poderão ser realizados a partir de 26 de julho até 30 de dezembro. Segundo o Ministério do Trabalho, 101,7 mil catarinenses ainda não retiraram o dinheiro, o que corresponde a 9,5% do total de trabalhadores que teriam direito ao benefício no Estado. A quantia disponível para saque em SC é de R$ 73,2 milhões. Até o final de junho, 965,7 mil trabalhadores receberam um total de R$ 695,3 milhões no Estado. Vale lembrar que o pagamento do benefício referente ao ano-base 2017 também começará a ser pago no dia 26 de julho. O valor que cada trabalhador tem para sacar depende de quanto tempo ele trabalhou formalmente em 2016. Quem trabalhou o ano todo recebe o valor cheio, que equivale a um salário mínimo (R$ 954). Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo, que é R$ 80.

24030340

Quem tem direito
Para ter direito ao Abono Salarial do PIS/Pasep é necessário ter trabalhado formalmente por pelo menos um mês em 2016 com remuneração média de até dois salários mínimos. Além disso, o trabalhador tinha de estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter tido seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).De acordo com o chefe da divisão do Abono Salarial do Ministério do Trabalho, Márcio Ubiratan Brito, a quantia que cada trabalhador tem para receber é proporcional ao número de meses trabalhados formalmente no ano-base e varia de R$ 80 a R$ 954.Quem trabalhou durante todo o ano recebe o valor cheio. Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo.

Publicidade

36838721_1776002515840207_5891107379486916608_n

Empregados iniciativa privada
Os empregados da iniciativa privada, vinculados ao PIS, sacam o dinheiro na Caixa. O banco disponibiliza uma página para que o trabalhador consulte se tem direito a receber o valor. Para isso, é preciso informar o número do PIS (geralmente registrado na carteira de trabalho) e digitar a senha. Quem não tem senha, pode cadastrar uma na página de consulta.

Publicidade

kantan-gif-360x360

Funcionários públicos
Para os funcionários públicos, a referência é o Banco do Brasil. O banco disponibiliza um aplicativo que precisa ser baixado e instalado para que o trabalhador consulte se tem direito e o valor do benefício.

FONTE: DCRBS