Estudantes jaraguaenses viajam ao exterior e compartilham as suas experiências

O intercâmbio através do Rotary Club JS Vale do Itapocu

3 min para ler 17 jan, 18
Publicidade

levie-versao-interna

img_2854

Nome: Amanda Wolf Alvarenga
País: Taiwan
Data: 20/08/2016 a 07/07/2017

“Com 18 anos, resolvi trancar a faculdade de cinema para viver um sonho do outro lado do mundo. Eu escolhi Taiwan! Chegando lá, percebi que havia pousado em outra realidade. Me surpreendi com a recepção imensa que tive, pois não esperava nada além de algo simples. Fiz aulas de chinês numa universidade por 8 meses, mas o que me fez evoluir o idioma, foi praticar no cotidiano com os taiwaneses. Tive duas famílias, cada uma com o seu jeitinho especial e me tratando sempre como uma filha de verdade. A cultura deles é muito forte e expressiva, desde a religião até a alimentação. Fiquei encantada com a cidade que vivi a maior parte do meu intercâmbio, Kaohsiung, no sul de Taiwan. São 2 milhões de habitantes, e aquela sensação de estar em um filme, onde nada para. Um lugar onde tudo acontece, com praias, templos, prédios, shoppings, lojinhas de suco em casa esquina, estações de trem e de metrô. Viajar não é só conhecer um lugar novo, mas perceber que existem realidades muito diferentes da que estamos inseridos, e aceitar aquilo como se não fosse certo ou errado, apenas culturas distintas. Minha dica aos futuros intercambistas é não ter medo do que está por vir, antes de embarcar o frio na barriga é grande, mas se sentir em casa em outro lugar do mundo, compensa no final.”

Publicidade

mobile_corpoativo_290x190px

img_2976

Nome: Geórgia Johansson Englert
País: França
Data: 23/08/2016 a 08/07/2017

“Há 15 meses atrás, comecei a melhor experiência da minha vida! Fui para a França em agosto de 2016, e voltei em julho de 2017; neste ano, poderia listar as milhares de coisas que fiz, vivi e aprendi; mas nenhuma se compara ao amadurecimento que tive. Enfrentei uma cultura diferente e pessoas com opiniões diferentes da minha. Tive de aprender a conviver com pessoas que nunca havia visto na minha vida e resolver os problemas com as minhas próprias mãos, além de ser responsável por mim mesma e depender apenas de minhas ações, arcando com as consequências. Posso afirmar que não teria melhor escolha pra mim a não ser passar um ano fora e ver o mundo como ele realmente é. Conviver e conhecer onde moramos não é apenas sobre nossa cidade ou região, mas sobre o mundo que dividimos com tantas pessoas incríveis e diferentes de nós. Sou uma nova pessoa hoje e amo isso, as viagens, as línguas, as culturas, tudo. Tudo é tão intenso que parece que vivi uma vida inteira nesse um ano. E não poderia esperar outra coisa além disso: Felicidade.”

Publicidade

abf-interna

img_2866-1

Nome: Romy Huber Pradi
País: Dinamarca
Data: 06/08/2016 a 09/07/2017

“No meu intercâmbio eu visitei mais de 100 cidades, não só da Dinamarca como de outros países de Europa, fui até parar em Nova Iorque com a escola para acompanhar as eleições presidenciais em novembro de 2016, algo que eu nunca imaginei que aconteceria. Nem imaginei que, além de aprender o dinamarquês, aprenderia um pouco de espanhol, e voltaria ao Brasil com certificados nos idiomas alemão e inglês em mãos. Para mim, o sucesso no intercâmbio é se inserir na cultura, aproveitar ao máximo a oportunidade de conhecer outros povos de perto. Ver o quão rica em cultura a Dinamarca é, abriu minha cabeça para o fato de que não importa o tamanho do país, nem o quão conhecido ele é – até eu que me joguei nessas ilhas nórdicas não sabia nada sobre a Escandinávia antes de participar do processo de seleção do Rotary –, não importa nada disso, cada país tem seus encantos e seu charme próprio. Tenho certeza que se eu não tivesse escolhido a Dinamarca, qualquer país teria me proporcionado o mesmo aprendizado, que foi o amadurecimento pessoal, a independência, a vontade de crescer, a motivação, e a compreensão cultural, pois fazer intercâmbio não é apenas trocar de país temporariamente, é trocar experiências, e essas que ficam para sempre”.

interna-3-1

Nome: Shayane Andora Kanzler
País: Alemanha.
Data: 09/08/2016 a 07/08/2017

“Crescimento e amadurecimento foram as principais mudanças em mim. Em agosto de 2016, embarcou uma menina, que mal sabia e entendia da vida, que tinha como propriedade além do português, um inglês não tão bom assim e as palavras “olá” e “obrigada” em alemão, e que nunca tinha viajado ao exterior. Agora, volto para o Brasil como aluna destaque do Rotary, com uma proposta de trabalho e faculdade no exterior, e planos para uma nova visita à Alemanha durante 2018. Sem dúvidas indico a experiência de morar fora, pois além de ser uma oportunidade única, é a chance de sair da sua zona de conforto e aprender a ver o mundo com outros olhos. Ser intercambista além de viajar, é conhecer novas culturas e pessoas, crescer como pessoa, é ser embaixador do nosso país e representar da melhor maneira quem somos e da onde viemos. Obrigada a todos os envolvidos do meu desafio e boa sorte aos futuros exploradores do mundo!”

Serviço
O quê: Rotary Club JS Vale do Itapocu
Onde: Rua Presidente Epitácio Pessoa, 239
Site: http://www.rotaryjaraguadosulvaledoit.org.br/