Especial Dia dos Namorados: A música unindo corações

Com 63 anos de casado, Yara e Fernando Springmann contam a sua romântica história

2 min para ler 12 jun, 18
Publicidade

selo-apartamento-jpg

O amor não tem idade, não tem hora nem tempo para começar e nem para acabar. O amor é puro, é límpido, é honesto. Se você sabe do que estou falando então com certeza vai se encantar com a história de Yara e Fernando Springmann, o casal que cativa Jaraguá do Sul com seu charme, alegria de viver e o legado por fazer parte da primeira diretoria da Sociedade Cultura Artística de Jaraguá do Sul, conhecida como a Scar. “Cheguei em Jaraguá do Sul por volta de 1952. Eu era apenas um jovem médico que não conhecia quase ninguém na cidade, as minhas noites eram regadas de um violino em um quarto alugado, não tinha companhia, foram momentos de verdadeira reflexão. O meu violino estava presente na minha vida desde criança, e sempre sonhei em participar de uma orquestra ou até mesmo uma banda, mas nunca pensei que a música se tornaria uma parte tão importante da minha vida”, conta Fernando, hoje com 92 anos.

unnamed

Com o destino agindo de uma maneira misteriosa, Fernando Springmann revela que um dos seus vizinhos, que sempre apreciou as suas noites de melodias com o violino, era um dos integrantes de um conjunto de meia dúzia de pessoas formado pela família de músicos Piazera Fischer. ”Me convidaram a fazer parte do conjunto e fiquei muito feliz. Foi lá que conheci minha esposa, Yara Springman. Namoramos por dois anos e logo em seguida nos casamos. Como eu já conhecia a família dela, que fazia parte do nosso grupo de música, todos eles me aceitaram facilmente e foi muito tranquilo. Me lembro que logo quando vi Yara na minha frente sabia que ela era especial e que eu precisava aproveitar essa oportunidade para conhecê-la”, comenta o violinista. Com o sucesso das festas realizadas por integrantes do ilustre conjunto jaraguaense, a ideia de criar uma sociedade nasceu. Fernando, que em pouco tempo já havia conquistado a liderança da orquestra, salienta que decidiu nomear o estatuto de ‘Sociedade Cultura Artística’ por contar com palavras abrangentes e impactantes, que ficariam gravadas na memória dos apreciadores da cultura local.

Publicidade

oral-unic-com-marca-d-agua

Yara e Fernando Springmann, que fizeram parte da primeira diretoria da Scar, informam ao meio de sorrisos que o fascínio pela música uniu o casal, e fez com que a sua relação se tornasse mais genuína e repleta de paixão. “Nós dificilmente brigamos. Sempre respeitamos um ao outro e buscamos uma relação de respeito e igualdade. Estamos juntos há mais de 65 anos, isso é muito tempo. Não existe nenhum segredo para ter uma relação saudável, mas é preciso saber valorizar o que o seu companheiro faz por você, além de sempre considerar a lealdade, a confiança no seu parceiro. Com compreensão se conquista a alma e o coração. Vejo muitos casais se separando em pouco tempo nos dias de hoje, e não sei ao certo por que tudo ficou tão descartável, mas é preciso de força de vontade e claro, muito amor para sustentar um relacionamento”, confessa Yara, aos 83 anos.

teste1-1

Publicidade

kantan-gif-360x360

O casal apaixonado menciona que ainda assistem as apresentações da Scar juntos, nunca perdendo nenhum concerto que é oferecido pelo centro cultural. “Estamos sempre apreciando o que Jaraguá do Sul tem para nos oferecer. Acho muito importante que os moradores da cidade valorizem a Scar, pois todos que assistem um espetáculo por aqui saem com uma nova visão do mundo artístico. É uma experiência linda, única, que só tem a somar na vida as pessoas. Acompanhar a evolução desse lugar, sabendo que eu e meu marido somos parte da história dessa união de talentos, é muito emocionante. Sou muito grata por todas as experiências que tive por aqui, e acima de tudo, por conhecer o homem pelo qual me apaixonei e que está comigo até os dias de hoje”, relata a pianista Yara. Sempre aos chamegos e abraços, Fernando complementa: “O nosso amor vai crescendo dia a dia. Para sempre, estarei ao lado, ou melhor, junto da minha esposa”.