Construindo a inteligência financeira

Especialistas da Inthegra, Gestão e Finanças, levantam questões sobre a administração de finanças pessoais

4 min para ler 14 fev, 18
Publicidade

levie-versao-interna

Como você entende e administra suas finanças pessoais e empresariais? Você tem claro um projeto de vida, incluindo a sua independência financeira? Como você mede os resultados do seu trabalho e da sua empresa? São questões importantes que devemos estar sempre atentos, definindo caminhos a serem seguidos e metas a serem atingidas. No Brasil, a educação financeira infelizmente ainda não é tratada com a devida importância, desde a família até os meios empresariais. De certa forma, o assunto é evitado nas conversas em família por questões culturais, religiosas e até mesmo por desconhecimento, assim como não está presente na maioria dos currículos escolares de base. Pela falta desses conhecimentos e planejamento, princípios como geração de valor e prioridade nos gastos muitas vezes são negligenciados e o aprendizado é na prática, depois de muitas tentativas e erros, com resultados nem sempre satisfatórios. A educação e o controle financeiro exigem disciplina e começam na nossa própria casa e não é preciso ser especialista, pois hoje já há vasto material disponível em livros, internet, eventos relacionados ao tema, assim como profissionais muito bem qualificados que podem prestar assessoria a quem se interessar.

img_9920-revista

POR ONDE COMEÇAR? NA FAMÍLIA
• Você pode começar elaborando um planejamento doméstico, preferencialmente em conjunto com toda a família, inclusive os filhos, conversando sobre o quanto de recurso a família tem disponível e as prioridades. Parece tarefa simples, fácil, mas quando nos deparamos com o que efetivamente existe de disponibilidade e obrigações, como equilibrar isto?
• Um pequeno exemplo é a mesada dos filhos, não importa o valor, onde a mesada poderá ser usada desde cedo, de forma inteligente e como meio de aprendizado.
• Tomar consciência de onde vem o dinheiro e o esforço para obtê-lo, assim como a forma que ele é gasto, são passos importantes para assumirmos o controle das nossas finanças.
• Elaborar um plano orçamentário descriminando receitas e gastos é imprescindível, fazendo o monitoramento periódico, preferencialmente semanal ou quinzenal.
Como dizia Peter Drucker, “A melhor maneira de prever o futuro é cria-lo”, ou seja, planeje. E isto também se aplica à nossa vida pessoal e principalmente aos nossos empreendimentos. Você tem um projeto de vida? Quais são as suas metas de curtíssimo, curto, médio e longo prazos? O que é felicidade para você? Já parou para pensar nisto? Portanto, não se trata apenas de metas financeiras, porém a independência financeira nos dá liberdade de escolhas para aproveitar as melhores oportunidades de realização pessoal e, com mais ousadia e crescimento, nos investimentos pessoais, empresariais ou profissionais.

Publicidade

mariamarta-mobile

NAS EMPRESAS E EMPREENDIMENTOS
O planejamento é bem mais amplo e complexo, pois toda organização tem responsabilidades com a sociedade, governo, sócios, colaboradores, meio ambiente entre outras, porém, para que cumpra seus propósitos é preciso garantir a sua sustentabilidade econômica e financeira. Um planejamento bem estruturado deve contemplar as perspectivas econômicas com rígidos controles financeiros, comercial com preços justos e política de vendas alinhada com o mercado, processos internos e seus respectivos custos e a valorização das pessoas. Uma vez elaborado o planejamento é preciso fazer com que todos os colaboradores tomem conhecimento e se comprometam com as metas estabelecidas, assim como medir os resultados através de indicadores alinhados com a estratégia definida. Por fim, corrigir os desvios e redirecionar as estratégias é fundamental, pois vivemos num cenário frenético de mudanças econômicas, sociais, políticas e tecnológicas que afetam diretamente o nosso dia a dia e a maneira de conduzir os empreendimentos.

A IMPORTÂNCIA DA VISÃO SISTÊMICA
Uma empresa ou uma organização, no seu todo, representa um sistema. “Um sistema é um conjunto de elementos que estão interligados entre si numa continua relação de mudança”. Por outras palavras, um sistema é qualquer grupo de pessoas que regularmente trabalham, aprendem, se divertem ou se relacionam em conjunto. O denominador comum destas organizações é que são compostas de seres humanos. A dinâmica sistêmica acontece quando os seres humanos funcionam num grupo.

Publicidade

gif-bread-burguer

Tudo está integrado e interconectado, porém a visão que temos do meio que estamos inseridos agindo e interagindo nos afeta diretamente, assim como aos negócios. Nesta visão, o seu comportamento diante da sociedade é de equilíbrio? O seu negócio ou a sua empresa interage com a sociedade de forma justa compensando aquilo o que dela se beneficia? O que uma empresa ganha da sociedade? E o que ela poderá compensar de forma equilibrada? Podemos dizer então, que uma empresa obtém da sociedade lucros e dividendos, portanto gerando riqueza para a organização. Mas ao mesmo tempo uma empresa devolve em crescimento, desenvolvimento, empregos, salários e impostos para a sociedade. Quando esta ordem não é respeitada entra-se no estado de desequilíbrio, então, empresa e sociedade sofrem as consequências em suas estruturas, pois parte deste sistema de equilíbrio esta fora de lugar. Portanto, ter a compreensão de que estamos inseridos em um grande sistema nos equilibra, nos faz enxergar qual a real importância de cada agente, empresa ou sociedade, responsáveis pelos seus atos e atitudes, assumindo as respectivas consequências. Desta forma, as empresas e os empreendimentos estão sempre a serviço da sociedade, promovendo desenvolvimento e crescimento.

No que diz respeito ao controle das finanças, é necessário uma clara separação entre o pessoal e o empresarial. Se esta separação não for obedecida, os resultados serão um mero acaso e poderão não ser o que você espera. É neste ambiente complexo que a Inthegra se apresenta como agente de mudanças, assessorando desde o planejamento pessoal, passando pela gestão e controle das organizações e na integração sistêmica da realização pessoal com os objetivos profissionais ou empresariais.
Segundo os gregos antigos, “felicidade é estar com quem você ama, fazer o que gosta e ter sonhos a realizar.”