Cada vez mais, pessoas acima dos 50 anos assumem o volante

Nosso trânsito promete ficar ainda mais cheio desses motoristas tão especiais

1 min para ler 10 out, 18

Quem acha que existe idade para aprender a dirigir está muito enganado. Cada vez mais, pessoas acima dos 50 anos assumem o volante e a liberdade para aproveitar a melhor fase da vida nas ruas da cidade. Segundo pesquisa feita no território brasileiro, nos últimos anos cresceu 14% o número de pessoas acima dos 55 anos que tiram habilitação ou resgatam as suas antigas e superam medos ou falta de prática do passado. E estes números tendem a aumentar: segundo o PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), a quantidade de idosos no Brasil já é uma dos maiores do mundo, cerca de 13,5 milhões de pessoas, e com isso nosso trânsito promete ficar ainda mais cheio desses motoristas tão especiais.

idoso1

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a expectativa de vida dos brasileiros tem aumentado nos últimos anos. No início da década de 1990 (especificamente no ano de 1991) a expectativa era de 66 anos. Atualmente passou a ser de 75 anos de idade. Essa mudança deu-se devido a uma série de avanços como o desenvolvimento econômico, acesso à água tratada, saneamento básico, avanços da medicina e inclusão social. Além disso, as pessoas idosas passaram a ser mais ativas, buscando qualidade de vida e mais independência no seu dia a dia. Isso fez com que a imagem do idoso em casa lendo jornal, ou participando de jogos de dominós em praças, ficasse no passado.

Publicidade

feijoada-moa2

Para quem já tem uma idade madura e quer seguir este exemplo, o segredo está no amor pelas ruas e que bastam apenas doses de dedicação para tirar sua habilitação. Geralmente, os idosos são mais atenciosos com as placas e sinalizações do trânsito, levam os pequenos no banco de trás com cinto de segurança e respeitam os outros motoristas, assim como a velocidade permitida nas avenidas. O idoso sabe de seus limites, do cuidado que ele tem que ter no trânsito e na vida. Vale lembrar que também sabemos que à medida que os anos passam as limitações vão aparecendo, dirigir depende de três funções básicas: a cognitiva que envolve o raciocínio, a motora e a sensório perceptiva. E cabe ao médico a avaliação destes fatores na renovação da CNH.

jeferson1

Jeferson Cardozo
Especialista em segurança pública e em direito e gestão de trânsito, e proprietário da Auto Escola Sinal Verde.