A importância do saneamento básico para para o desenvolvimento

Projeto ajuda a aumentar a qualidade de vida no Estado

1 min para ler 20 mar, 17

A cobertura de serviços de esgoto no Brasil apresenta grande defasagem na comparação com países com renda per capita equivalente ou até menor. De acordo com o Instituto Brasil, o país ocupa a 11ª posição no ranking de 17 participantes da pesquisa, estando atrás do Chile, Peru, Uruguai, Equador, Venezuela, Bolívia, México, Argentina, Colômbia e Costa Rica. Enquanto aqui 43% do esgoto coletado é tratado, no Chile, por exemplo, este índice é 98%.

Em Santa Catarina temos uma realidade que precisa ser mudada e estamos trabalhando para isso. Somos referência em diversos indicadores sociais, como educação e geração de emprego, mas os índices de saneamento básico ainda são precários e não condizem com nossa realidade socioeconômica. Para garantir a qualidade de vida e a promoção da saúde da população, é necessário, além de um serviço de abastecimento de água de qualidade e com quantidade, da coleta e tratamento adequado dos resíduos, que incluem esgotos sanitários, dejetos líquidos industriais e agrícolas.

Realizamos um estudo para o projeto que atenda aos municípios catarinenses com até 17 mil habitantes. Com isso, ampliaremos em mais de 70% a cobertura de saneamento no Estado. Estamos buscando a parceria do banco alemão Kreditanstalt für Wiederaufbau (KfW), que já possui iniciativas semelhantes em outros Estado, como Piauí e Ceará. A negociação envolve 100 milhões de euros, incluindo a contrapartida do Estado de 20%.

Estamos contando com vários parceiros, como a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), que já vem fazendo sua parte e destinou aproximadamente R$ 2 bilhões de investimentos para ampliar a cobertura da rede esgoto e de abastecimento de água tratada no Estado. Temos o apoio também da Fundação do Meio Ambiente (Fatma), Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Agência Reguladora de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) e Secretaria de Estado da Fazenda.

Nossa meta, agora, é garantir a execução deste projeto, que irá beneficiar mais de 400 mil habitantes em nosso Estado. Estamos fazendo a nossa parte e tenho certeza que, juntos, conseguiremos ultrapassar os desafios, fazendo com que Santa Catarina seja referência, também, em saneamento básico, elevando os índices de desenvolvimento.