Estudantes jaraguaenses descobrem alimento mais rico em potássio que a banana

Por: Moa Gonçalves Foto: DIVULGAÇÃO
Compartilhe

Sabe aquela câimbra que ocorre durante um movimento ou uma atividade física? Ela é uma contração muscular intensa e involuntária, muitas vezes causada pela falta de sais minerais no organismo. Entre os sais minerais importantes para evitar as câimbras está o potássio e, por isso, médicos e nutricionistas recomendam o consumo de alimentos ricos em potássio para evitar câimbras. O que poucos sabem e que foi descoberto por um grupo de estudantes do Câmpus Jaraguá do Sul-Centro é que a fruta mais rica em potássio é o abacate, e não a banana. Orientados pelo professor Juliano Ramos, sete estudantes do Ensino Médio Técnico Integrado em Química desenvolveram a pesquisa durante um ano e concluíram que o abacate chega a ter até duas vezes mais potássio do que a banana nanica, que é a variedade apontada na Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (Taco) como o alimento com maior quantidade de potássio. "Essa comparação leva em conta os dados que obtivemos e também as informações da Taco", conta o professor.

Para chegar aos resultados da pesquisa, foram analisadas as quatro variedades de abacate mais comuns em Jaraguá do Sul: avocado, fortuna, fuerte e geada. O elevado teor de potássio foi encontrado em todas as variedades, mas a que mais se destacou foi a avocado, com aproximadamente 600 miligramas de potássio em cada 100 gramas da fruta. Devido ao tipo da pesquisa, os alunos tiveram que se familiarizar rapidamente com a química analítica, que só é ensinada no curso técnico a partir da quinta fase. O trabalho, que foi desenvolvido durante os dois últimos semestres, não serviu apenas para gerar a descoberta e facilitar os estudos de química analítica. Para os estudantes, um dos principais ganhos foi o amadurecimento como pesquisadores.

Outras descobertas
Colocar a banana como segunda colocada na lista das frutas com maior presença de potássio não foi a única descoberta da equipe. Para realizar o estudo envolvendo as variedades do abacate, o grupo precisou também desenvolver uma metodologia para a pesquisa, já que não havia na literatura científica uma descrição que pudesse ser utilizada. Além disso, os resultados da pesquisa indicaram que a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, que é referência para a área, está incompleta. "A Taco mostra apenas a composição do 'abacate', mas não diz em qual variedade foi feita a análise. Como nós investigamos quatro variedades da fruta, descobrimos que os valores do potássio, por exemplo, variam de acordo com a variedade", explica a aluna Beatriz Moretti. Confira o nome completo da equipe que desenvolveu o trabalho sob orientação do professor Juliano Ramos no Câmpus Jaraguá do Sul-Centro: Beatriz Moretti, Gabrielli Bilck, Arthur Delmiro Lourenço, Joana de Almeida Zanetti, Aline Cristina Pellis, Nicholas da Gama Tanaka Guerreiro, Cauê Giovani Kauva.

Veja também

Como se prevenir do tromboembolismo em cirurgias plásticas
Nossa Saúde e Estética com Dr. Rodrigo Agacy
Harmonização facial: paciente denuncia médico por graves sequelas
O caso já é investigado pela Polícia Civil.
Conheça os benefícios do Ultherapy
O fim da flacidez!
Nutróloga dá 12 dicas para cumprir, mês a mês, a promessa de emagrecer em 2019
O que fazer para manter a força de vontade e conseguir o tão sonhado emagrecimento?
Dr. Bruno Francisconi destaca a importância do tratamento de hérnia de disco
Essa doença é a que mais provoca dores nas costas