Católica estampa a capa de novembro da Revista Nossa e comemora 45 anos

Por: Priscilla Millnitz Pereira Foto: Marcelo Luis
Compartilhe

Católica comemora 45 anos com olhar voltado para o futuro

Dois mil e dezoito marca os 45 anos da Católica SC, mas, longe de se apoiar no passado, a instituição de ensino tem os olhos voltados completamente para o futuro e já começa a implantar uma série de mudanças em busca de adaptação constante. "Temos muito orgulho de nossa trajetória. Foram inúmeras conquistas nesse período e mais de 10 mil egressos. É esse passado que nos permite pensar no futuro e continuar atuando na vanguarda da educação", salienta Diogo Benke, reitor.

Ao comemorar os 45 anos, podemos manifestar com orgulho nossos resultados do Enade, destacando cursos que estão entre os primeiros lugares em rankings nacionais, estaduais e regionais, assim como os excelentes resultados de aprovação no exame de Ordem dos Advogados do Brasil e exame de suficiência em Ciências Contábeis, comenta Anadir.

Ainda que a motivação inicial de todos que buscam o ensino superior seja a conquista de um diploma, a Católica SC oferece mais e extrapola os muros da academia não se limitando a ensinar os conteúdos teóricos e práticos para exercer uma profissão, mas atuando diretamente sobre a comunidade na qual está inserida. É assim desde sempre. O próprio caráter de instituição comunitária pressupõe essa prática e a ligação com as demandas sociais da região está no cerne da sua história.

Anadir Vendruscolo, pró-reitora acadêmica da instituição, lembra que tudo começou no início da década de 70, quando o padre Elemar Scheid se uniu às demais lideranças da região para reivindicar um curso superior para Jaraguá do Sul. "Na época as oportunidades eram restritas aos grandes centros e quem não tinha recursos para se manter em outra cidade acabava impedido de ter formação no ensino superior", recorda. Assim, em 1973, o processo desafiador teve parecer positivo e, por meio da Lei Municipal nº 439/73, foi instituída a Fundação Educacional Regional Jaraguaense (Ferj).

Na época era ofertado o curso de Estudos Sociais com o intuito de formar professores, mas o esforço contínuo fez com que no ano de 1985 fosse criado o Centro de Ensino Superior de Jaraguá do Sul e, mais tarde, em 2011, a denominação fosse alterada para Centro Universitário - Católica SC, com mais de 30 cursos de graduação e dezenas de cursos de pós-graduação e extensão oferecidos, entre presenciais, à distância e híbridos.

Coincidiu que a época de criação da antiga Ferj foi a mesma em que começaram a surgir no município grandes indústrias e Anadir não tem dúvidas de que o desenvolvimento da cidade se deu pelo fato de ambas - educação e indústria - caminharem de braços dados. "Tivemos muita influência na formação dos profissionais que ajudaram a construir a história de sucesso dessas empresas", afirma e complementa: "Se hoje Jaraguá do Sul tem um dos maiores Produto Interno Bruto (PIB) do Estado, nós, como fomentadores de conhecimento, tivemos nossa parcela de contribuição".

Se o passado da Católica SC esteve próximo da comunidade, a equipe de gestores não pensa diferente sobre o futuro. Segundo Diogo, é compromisso da instituição continuar impactando a sociedade, observando-a, estudando-a e agindo sobre mudanças que ocorrem rápido demais e podem tornar conhecimentos rapidamente obsoletos. Por isso para o próximo ano estão sendo reformuladas matrizes curriculares de todos os cursos. "Procuramos conhecer as demandas locais, trazer tendências mundiais e aplicá-las de acordo com as características da nossa região. Isso vai além da matriz curricular básica, mas inclui uma série de competências que os futuros profissionais precisam desenvolver para lidar com um mercado em constante evolução", reforça o reitor.

Foco na carreira
Nesse sentido, um conceito chave é capacidade de empreender. Jaraguá do Sul tem essa vocação e a Católica SC procura adaptar sua matriz curricular para inserir profissionais capacitados no mercado de trabalho. E quando utiliza essa palavra, Diogo Benke faz questão de quebrar o paradigma de empreendedor como aquela pessoa que deseja abrir uma empresa. "Falo também em ser um 'empreendedor da sua carreira'. Tais mudanças no mercado de trabalho acontecem naturalmente e, se você não personificar boa parte dessas características e saber auto gerenciar sua carreira, em poucos anos você pode 'estar morto para o mercado', avalia. Entre essas características podemos citar a proatividade, liderança, criatividade, resiliência, boa comunicação, capacidade de recomeçar e se reinventar, e suportar pressão. Convenhamos que todas elas podem ser aplicadas também enquanto colaborador de uma empresa e não somente sendo dono do seu negócio.

Marina Sievers - Coordenadora da Central de Carreiras

Professores que atuam no mercado de trabalho ajudam nessa ponte, trazendo os caminhos que as empresas têm percorrido lá fora, o que estão buscando e que direcionamento dar à carreira. Programas de estágio funcionam da mesma forma. Ao todo são mais de 800 empresas parceiras que abrem suas portas para os alunos realizarem também visitas técnicas, buscarem vagas de emprego e recepção de currículos daqueles que procuram novas oportunidade.

Há 20 anos a Católica SC ainda hospeda em parceria com a prefeitura e associação comercial o Jaraguá Tec, incubadora de empresas que já colocou dezenas de novos negócios com sucesso no mercado, inclusive de alunos e egressos dos cursos da instituição. A ideia é abrir espaço e disponibilizar recursos para que estudantes coloquem em prática ideias voltadas para o setor de tecnologia e inovação. Para muitos, essa foi a porta de entrada para o sucesso e hoje empresas que começaram pequenas e despretensiosas faturam muito fora dos muros acadêmicos.

Além disso, Católica SC conta agora com a Central de Carreiras, uma área de relacionamento com alunos, egressos e empresas que atende as demandas exclusivas de estágio e emprego. "Nosso principal objetivo é contribuir para o processo de planejamento de carreira dos estudantes, apoiando- os e preparando-os para a conquista das melhores oportunidades de trabalho", afirma a coordenadora Marina Sievers.

Para fazer a gestão de carreira de alunos e egressos foi adquirido em 2017 a solução Symplicity, uma ferramenta desenvolvida por profissionais de escritório de carreira americanos há 20 anos e que hoje é utilizada em grandes universidades, como Harvard, London Business School, Cambridge, a parceira PUC-PR, entre outras. Vale destacar que a Católica SC foi a primeira instituição de ensino do Brasil a adquirir esta solução.

Com a implantação do sistema, os estudantes e egressos terão acesso a serviços como orientação de carreira, capacitações diversas para o desenvolvimento de competências sócio-emocionais, acesso a artigos, vídeos e matérias e participação na Feira de Emprego e Recrutamento, que facilitarão a aproximação com as empresas parceiras e o acesso às oportunidades.

"Com todas estas ações esperamos estabelecer um relacionamento contínuo com os alunos e egressos e fazer a diferença na vida deles, sempre acompanhando as demandas do mercado de trabalho, atendendo assim também as expectativas dos empregadores", finaliza Anadir.

O futuro da educação
A Católica, por sua vez, também oportuniza diversas experiências que apresentam esse universo para os alunos. Uma que já começa a ser aplicada e a partir do ano que vem ocorrerá em todos os cursos é a interdisciplinaridade. Anadir explica que tal atividade ocorre durante todo o semestre e serve para mostrar aos alunos de que maneira todo aquele conhecimento se conecta. E também, é claro, para que vivenciem o ambiente de trabalho, já que os projetos de aprendizagem colaborativa são executados em grupo e os incentiva a aplicar não só a técnica aprendida em sala de aula, mas a desenvolver uma série de outras habilidades. A iniciação a pesquisa como um dos potenciais do processo de formação também merece ser destacada. Esse é outro ponto no qual o Centro Universitário tem investido. Diogo Benke explica o que são as Soft Skills ou competências socioemocionais. "Tratam-se de aulas inovadoras sobre liderança, produtividade, comunicação, autodesenvolvimento e todas as demais habilidades que o mercado de trabalho exige".

"Formamos pessoas capazes de lidar com as mudanças no mercado de trabalho". (Diego Benke).

Parcerias renomadas
Outra parceria importante é com a PUC-PR, essa já de longa data. A instituição paranaense está entre as 30 melhores do Brasil quando o assunto é ensino, pesquisa e formação de professores e o intercâmbio de conhecimento entre as duas instituições é uma prática frequente.

Também vem do Estado vizinho a Hotmilk Aceleradora, voltada para o empreendedorismo e as startups. Conforme o vice-reitor e pró-reitor administrativo, Sandro Vaz, o programa conta com uma rede de mentores dispostos a ajudar a alavancar a ideia dos estudantes. Os empreendedores que passam pelo programa contam ainda com networking diferenciado, workshops com temáticas pertinentes ao desenvolvimento de seus negócios, além de uma estrutura de coworking gratuita.

Por meio de uma parceria com a Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), a entidade se faz presente na universidade, seja orientando o corpo docente com a melhor forma de montar essas novas aulas - softs skills as seja dando palestras para os alunos ou participando de mesas-redondas para que tirem suas dúvidas.

"É uma parceria recente, mas posso dizer que o tripé de formação será técnico, empreendedor e socio-emocial e a ABRH vem para contribuir com esse último", reforça Diogo.

"Para nós da ABRH a parceria com a Católica representa um novo olhar para o futuro de jovens profissionais. São eles que estarão à frente das nossas empresas e acreditamos que ajudando a desenvolver competências organizacionais para esses profissionais estamos apostando em cidadãos mais conscientes, responsáveis de seu papel e focados na excelência", afirma Juliana Rodermel Joaquim, Diretora da ABRH Jaraguá do Sul.

 

Responsabilidade social
A partir do terceiro semestre todos os estudantes devem, obrigatoriamente, participar do Projeto Comunitário. A coordenadora Ana Paula Fliegner explica que são 30 horas trabalhando em prol da comunidade. Cada estudante pode escolher a área em que melhor se adapta, seja dando aulas de reforço, ensinando português para haitianos e trabalhando com crianças, idosos e em hospitais, por exemplo. São mais de 400 ações durante todo o ano e é um esforço a mais em aproximar a universidade de quem está fora dela.

A partir do terceiro semestre todos os estudantes devem, obrigatoriamente, participar do Projeto Comunitário. A coordenadora Ana Paula Fliegner explica que são 30 horas trabalhando em prol da comunidade. Cada estudante pode escolher a área em que melhor se adapta, seja dando aulas de reforço, ensinando português para haitianos e trabalhando com crianças, idosos e em hospitais, por exemplo. São mais de 400 ações durante todo o ano e é um esforço a mais em aproximar a universidade de quem está fora dela.

Ana Fliegner - Coordenadora do Projeto Comunitário

Ao cumprir as horas, os bons resultados são visíveis de ambos os lados. O aluno passa a avaliar a realidade de forma diferente e o destino de quem é ajudado pode ganhar contornos surpreendentes. "Como prova desse efeito transformador temos um estudante de engenharia mecânica que não gostava de cálculo, mas teve aulas de reforço com nossos alunos e hoje está quase se formando", comemora.

E assim a história da Católica vai seguindo pelos próximos 45, 90, cem anos.. pensando no futuro, inaugurando polos em Itajaí e Florianópolis e mantendo o foco humanizado em todos os seus processos e currículos, formando não só profissionais, mas cidadãos do mundo.

Veja também

Diego Enke, proprietário da imobiliária Conquista Já Imóveis, estampa a capa de dezembro da Revista Nossa
Ele foi a face da campanha 'Meu Partido é o Brasil' em Jaraguá e Santa Catarina
Anderson Kassner avalia atuação na presidência da Câmara
Parlamentar deixa o comando do Poder Legislativo com metas e planos realizados e atribui as conquistas ao trabalho em equipe
Conheça a atleta Marina Fructuozo Piazera, destaque na natação jaraguaense
Apaixonada pelo esporte milenar, Marina revela detalhes sobre sua carreira
Conheça mais sobre a Churrascaria Divino Grill e o Restaurante Tio Patinhas, referências de sabores na região
A 'Noite do Carneiro' já é popular por SC
Vinícola Pericó tem novos donos
O fundador, Wandér Weege, de Jaraguá do Sul, explica a decisão de sair do negócio