Auto Escola Sinal Verde oferece profissional especializado no atendimento de deficientes auditivos

Por: Jeferson Cardozo Foto: DIVULGAÇÃO
Compartilhe

Os deficientes auditivos têm garantidos por lei o direito de dirigir, através da resolução n° 168, emitida pelo Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) que permite que surdos com deficiência igual ou superior a 40 decibéis tirem a Carteira Nacional de Habilita - ção (CNH). Assim, é possível os deficientes auditivos habilitarem-se nas categorias A e B, para conduzir motos e carros de passeio. Para requerer a CNH especial, é necessário ter pelo menos 18 anos, ser alfabetizado, levar as clínicas credenciadas autorizadas pelo Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN) da sua cidade, os seguintes documentos: original e cópia do RG, do CPF e do comprovante de residência e uma foto 3x4 colorida com fundo branco.

A acuidade auditiva pode ser avaliada submetendo o candidato à prova da voz coloquial que a uma distância de dois metros, o médico profere algumas palavras de costas, para que não haja leitura labial, e confere se o candidato é capaz de ouvir. No caso de reprovação nesse exame, o médico solicitará a realização de uma audiometria tonal aérea, exame que mede a intensidade da perda auditiva. No caso de uma perda igual ou superior a 40 decibéis (dB), somente é possível obter a CNH especial com a realização de exames otoneurológicos.

Intérprete irá diminuir as barreiras dos deficientes auditivos
Após o resultado do exame, é preciso fazer a matrícula em um Centro de Formação de Condutores (CFC). Em seguida, é preciso procurar a autoescola, que estará apta a atender um deficiente auditivo. Lá, a pessoa será encaminhada para realizar o exame teórico. Para o teste prático, o surdo faz o chamado exame de banca especial, em que os portadores de dife - rentes tipos de deficiência são reunidos para a última etapa do processo de obtenção da CNH. O deficiente auditivo realiza a baliza e, posteriormente, faz o per - curso acompanhado pelo examinador e pelo médico de trânsito. O acompanhamento é realizado pelo fato de que o médico de trânsito checa se as adaptações do carro estão de acordo com a deficiência constatada.

Na prática não é tão simples como parece, pois o deficiente auditivo passa por muitas dificuldades até conseguir tirar a Carteira de Habilitação. Com o intérprete disponibilizado pela nossa escola, as barreiras serão menores, possibilitando uma maior inclusão na área automotiva. Vale lembrar que a presença do intérprete permitirá auxiliar o candidato durante todo o pro - cesso para a aquisição da CNH sendo que, na prova teórica e prática, o candidato só poderá ser acompanhado pelo intérprete oficial. Neste caso, a autoescola contará com o intérprete oficial que irá dar as instruções para a realização do exame. Diante de tudo isso, é incontestável o fato de que os direitos dos portadores de D.A. existem e são facilmente encontrados nas legislações do nosso País. Nós, da Auto Escola Sinal Verde nos solidarizamos com todos os que necessitam desse atendimento especializado ? afinal, não foi por escolha ? e nos colocamos à disposição.

Jeferson Cardozo 
Especialista em segurança pública e em direito e gestão de trânsito, proprietário da Auto Escola Sinal Verde 
www.facebook.com/AutoEscolaSinalVerdeOficial

Veja também

Participe do workshop 'Novas constelações: familiar e empresarial' com Goreti Desenvolvimento Humano
Agende sua participação!
Primeira aceleradora startup-indústria do Brasil, está com inscrições abertas para mais um ciclo de aceleração
Spin busca startups interessadas em aceleração
Empresários de Guaramirim e Jaraguá do Sul participam de iniciativa que transforma lixo em energia
Projeto da Rede de Óticas Diniz contribui para mudar a realidade da visão infantil
Diniz Social já beneficiou cerca de 50 mil crianças entre seis e 12 anos de escolas públicas de mais de 300 cidades
Tênis vegano é aposta de empresa no Sul
Uma opção descolada e sustentável para quem busca um calçado exclusivo