1º Festival de Cinema, TV e online de Jaraguá do Sul

Visando transformar a cidade em um polo de produção audiovisual

2 min para ler 19 fev, 18
Publicidade

gif-bread-burguer

De posse de um roteiro instigante, o enredo visionário de transformar Jaraguá do Sul em um polo de produção audiovisual multigênero, vem gradativamente se revelando. Batida a claquete no dia 30 de outubro de 2017, a cena a ser exibida no 1º Festival de Cinema, TV e online de Jaraguá do Sul, entre os dias 14 a 19 de maio de 2018, projetará a missão de promover, incentivar e divulgar a formação e produção independente, ou não, da arte audiovisual fora do eixo Rio-São Paulo por meio de workshops, oficinas, palestras, avaliações e premiações com cineastas, produtores e distribuidores de conteúdo. Este é o desafio que move o comitê gestor formado pelo produtor, escritor e roteirista Isaac Huna; a produtora cultural Mariana Pires; a promoter Claudia Caglioni Mahfud; o administrador e escritor Nelson Luiz Pereira, contanto com assessoria de Dino de Lucca Moreira, além de importantes parceiros institucionais.

festival-cinema-em

Entre ações concretizadas e em andamento, eis o atual status do projeto: i) sua homologação federal junto ao Ministério da Cultura se deu sob processo nº 01400.000197/2018-74, publicado no DOU – Diário Oficial da União, no dia 11 de janeiro de 2018; ii) a constituição do Instituto e formalização do Estatuto encontram-se em fase final; iii) além de participantes locais, até o dia de hoje, encontram-se inscritos mais de 250 produções, independentes ou não, dos mais variados gêneros e origens. Destaca-se, ademais, que a repercussão em plataformas de cinemas nacionais, já mobilizou mais de 150 interessados entre países da América Latina, EUA e Europa, projetando Jaraguá para o mundo. Obviamente um comitê de curadores, já constituído, selecionará e premiará as melhores produções, e garantirá certificado para todos os participantes; iv) O projeto, cuja gênese, é apolítico, já foi, e continua sendo, apresentado para escolas, universidades, entidades e organizações das mais variadas classes e ramos de atividades; v) já encontra-se definida a programação que promoverá três dias de workshops, oficinas e palestras com cineastas, produtores e distribuidores de conteúdos de influência local, estadual e nacional.

Publicidade

2obanner_vallsa_360x344px

Torna-se oportuno evidenciar outrossim, que as entidades que projetam um olhar futuro para Jaraguá, ao se depararem com projetos dessa natureza, devem observar algumas premissas determinantes: i) há uma demanda diferenciada, pulsante e urgente na cidade e região no que se refere ao ‘empreendedorismo cultural’, contribuindo para a geração de divisas; ii) atualmente, as avançadas tecnologias de comunicação ao alcance de todos, potencializam oportunidades e condições de desenvolvimento e produções de audiovisuais; iii) a agenda cultural da cidade já ultrapassou fronteiras com eventos como Femusc, Schützenfest e Feira do Livro, demonstrando, por conseguinte, expertise intelectual, estrutural e logística para projetos desse padrão. Por fim, sustenta-se a visão e convicção de que cultura é a voz de uma sociedade. O propósito dos que renegam a cultura é reinar sobre uma nação de mudos. Por isso, esse projeto é uma construção coletiva, e seu êxito dependerá do apoio de toda comunidade.